quinta-feira, 16 de junho de 2016

Degustação Outback: Novo Cardário

Fiquei super feliz de ter sido convidada para participar da degustação dos novos pratos do menu do Outback e vim aqui contar pra vocês como foi e vou falar um pouquinho sobre cada prato que provamos lá. Fiz também um vlog rápido pra mostrar o ambiente.



Fui nesse Outback de Florianópolis lá no comecinho, em que era tudo novidade e o pessoal ainda estava se adaptando (ocorreram alguns erros normais de início). Desde então já fui diversas vezes e posso dizer que é daquele tipo de restaurante que não enjoa e, com raras exceções, fui sempre super bem atendida.

Muita gente vai pra lá achando que só os pratos de carne são bons, que não vale a pena ir no Outback sem ser pra pedir carne. Eu discordo muito. Já provei a maioria das carnes, mas como não sou a maior fã de carne vermelha, arrisquei várias vezes outros pratos (peixes, massas, frango) e ouso dizer que meus pratos preferidos de lá são o Toowoomba Pasta, um prato de fettuccine com camarões e molho alfredo, e o Alice Spring Chicken, que era peito de frango com bacon e queijo que acompanhava molho de mel e mostarda, mas que aparentemente saiu do cardápio (chateada).

Mas vamos ao que interessa, os pratos da degustação:

De entrada veio aquele delicioso pão típico do Outback e o novo Firecracker Shrimp Nachos, que tem camarões empanados com um molho apimentado e nachos. O molho é razoavelmente apimentado para quem não está acostumado, mas eles fazem também sem o molho, é só pedir. Achei os camarões e o molho deliciosos, apesar de eu não ser super tolerante à pimenta achei que valeu a pena, mas algumas pessoas acharam muito apimentado e não conseguiram comer muito.


Vieram dois pratos principais novos, um deles era o Boneless Parmesan Crusted Chicken, uma sobrecoxa de frango grelhada com crosta de parmesão e ervas. Apesar de eu não gostar muito de sobrecoxa, eu achei esse prato muito bom, cremoso e crocante. E como vem sem osso, fica muito mais fácil de comer e ser feliz.


O outro prato foi o Rainbow Beach Trout, que é uma truta bem simples, mas muito bem feita. Foi o prato que menos me chamou atenção, mas ainda acho que seja uma boa opção pra quem gosta de peixe.


Uma das sobremesas foi o Chocolate Thunder From Down Under, que é um brownie com sorvete, chantilly e calda de chocolate super divino para quem ama chocolate e coisas bem doces, como eu.


Outra sobremesa foi o Cinnamon Oblivion, que é sorvete, chantilly, nozes crocantes caramelizadas com maçã e croutons de canela. Simplesmente divino, realmente uma das melhores sobremesas do Outback, principalmente pra quem não é tão fã de doce assim.


A Cheesecake com calda de raspberry surpreendeu bastante. Eu ainda não conhecia. Não é o tipo de cheesecake que estamos mais acostumados aqui no Brasil, pois não tinha aquela textura super cremosa, lisinha e homogênea e também não era tão doce. Ela tem mais textura, parecendo realmente uma torta de queijo e o sabor é mais suave, muito gostosa e nada enjoativa. A geleia um pouco mais doce, mas ainda azedinha casou muito bem.


Foi uma ótima experiência, uma pena para a minha dieta.

quinta-feira, 12 de novembro de 2015

Filé Mignon com Brie e Abacate e o Ponto da Carne

Uma coisa que vejo muito de referência na gastronomia de vários países, com ênfase nos Estados Unidos e México, é o uso do abacate em pratos salgados. Sempre tive vontade, mas nunca chegava a usar, até o Thiago insistir na ideia, pois quando foi pra África ele comeu alguns pratos que combinavam carne e abacate e deu a ideia de fazer esse prato.

A ideia é bem simples, "só" fazer uns bons bifes (o que não é assim tão simples), colocar o queijo e o abacate cortado por cima. Então a dica de hoje não vai ser exatamente a receita, mas sim como acertar o ponto da carne.

Uma coisa muito importante de lembrar é que não existe "ponto certo". O ponto certo é aquele que você prefere comer. Então não adianta forçar as pessoas a gostar do bife ao ponto e enfiar goela abaixo só porque é o que aparece na foto dos menus na churrascaria e porque o chef Fulaninho de Tal disse que não pode ser diferente. Pessoas têm gostos diferentes em todos os aspetos da vida e com a carne não seria diferente.


O legal aqui é a gente aprender como saber quando está no ponto que você quer servir e como deixar a carne com aquela aparência bonita, dourada e suculenta. Então vamos lá:

- Primeiro de tudo, aqueça bem a frigideira antes de colocar a carne. Coloque uma pequena quantidade de manteiga e azeite, deixe derreter bem e quando tudo estiver bem quente é que você coloca a carne, com o fogo alto. Se colocar ela com a frigideira não tão quente ela não vai dourar, vai ficar com aquela cara anêmica, gosto estranho e coloração cinza que não é nada apetitosa.

- Existem controvérsias, mas eu (e a Julia Child) prefiro colocar o sal na carne depois de dourá-la, pois assim ela doura mais fácil e não solta tanta água.

- Outra dica pra que não solte água e acabe com a sua carne dourada é: coloque no máximo dois bifes por vez (se eles não forem muito grandes, é claro). O importante é não colocar muita carne de uma vez só na frigideira, pois acaba soltando água e em vez de grelhar eles vão cozinhar e não vão ter aquele delicioso gostinho que os grelhados têm.

- Espere aparecer o sangue "suando" na carne para virá-la e só vire uma única vez. Não fique virando a carne loucamente, senão o sangue não sabe mais pra onde ir e se perde todo, deixando toda a suculência pra fora da carne.

- Depois de ter virado a carne, encoste com o dedo em cima dela e compare com a "almofadinha" da sua palma da mão. Para chegar no ponto desejado, dá uma olhadinha nas comparações:


Agora a receita do filé mignon com queijo brie com abacate, que é super simples, mas fica realmente incrível:

Ingredientes:

- 1 colher de manteiga com 1 fio de azeite
- 400 g de filé mignon
- 100 g de queijo brie
- 1/2 abacate médio
- sal e pimenta do reino a gosto

Grelhe os filés na frigideira com a manteiga e o azeite conforme indicado no início do post. Quando estiverem prontos coloque fatias de queijo brie por cima e coloque uma tampa para abafar por alguns segundos, só até o queijo derreter levemente. Retire da frigideira, coloque em um prato e sirva com fatias de abacate por cima. Fica maravilhoso!

quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Usando Caldos Prontos para Incrementar os Seus e os Novos Caldos Knorr

Quando recebi esse kit dos novos caldos da Knorr fiquei super feliz, pois é uma coisa que uso muito nas minhas receitas pela praticidade, então aproveitei pra falar um pouco sobre esses caldos prontos com vocês.


O uso constante dos caldos prontos se dá não só pelo tempo que é gasto preparando o caldo, mas também pelos ingredientes para fazer um que seja bom e realmente traga sabor ao prato. Aqui em casa, por exemplo, só moramos eu e meu "noivorido", então fica difícil eu comprar um frango inteiro pra usar os ossos para o caldo, ainda mais porque nós dois só gostamos de peito e caldo de frango sem os ossos fica bem difícil de ficar gostoso, né?

Às vezes o que eu faço é comprar algumas coxas só pra usar pra fazer o caldo mesmo, mas ainda assim ele acaba não rendendo muito, então eu ainda incremento com algum caldo pronto. Assim eu consigo dar o meu tempero especial, deixar a comida com o gostinho que eu quero e sem perder a praticidade. É claro que na pressa (ou seja, na maioria das vezes) vou só no tablete mesmo, mas quando tem um tempinho a mais eu faço assim:

- Pego 2 coxas e 1 peito de frango, alho e cebola picados em 4 partes (bem grosseiramente mesmo) e refogo na panela de pressão com azeite. Quando o frango tiver dourado levemente de todos os lados eu coloco temperos da minha preferência, gosto de usar folha de louro e alecrim. Cubro tudo com água e coloco na pressão.
- Quando pegar pressão, conto 20 minutos cozinhando. Depois abro a panela, coo todo o caldo e reservo. Retiro a carne do frango para utilizar na receita ou guardo para usar depois e o resto descarto.
- O caldo que sobra é delicioso, mas não rende muito, então misturo com mais água e algum tablete de caldo pronto, que aí o sabor vai depender do que eu quero preparar. Às vezes uso o de galinha mesmo ou então o de legumes.

Também dá pra fazer isso com outros caldos, o de carne eu também já misturei (limpo a carne que vou usar e as sobras eu pego pra fazer um caldo com a própria carne e meus temperos). Faz uma super diferença sem perder a praticidade, pois o que seria o meu caldo ralo vira um caldo mais grosso e saboroso, sem perder meu toque especial.


Ah, e sobre os novos caldos Knorr, o que eu notei de maior diferença entre os antigos foi que esses são mais macios, se dissolvem bem mais fácil (além do principal, que é deixar os caldos mais encorpados). Vira quase um pozinho quando picamos (eu costumo picar o caldo antes de adicioná-lo na água, pois fica mais fácil de se misturar). 

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Frango com Arroz Sete Grãos

Essa receita é daquelas que você faz na maior inocência com intenção de variar a alimentação sem sair do saudável e magro e acaba descobrindo que é maravilhoso e dá um show até nas comidinhas "gordas". Desde que fiz a primeira vez aqui em casa tenho feito toda semana. Além de tudo não dá trabalho nenhum pra fazer. O frango pode ser trocado pela carne vermelha também que fica incrível.


Ingredientes:

- 1 xícara de arroz sete grãos
- 300 g de peito de frango
- 1/2 cenoura ralada
- 1/2 cebola picada (opcional)
- 2 dentes de alho picados (opcional)
- 1 tablete de caldo de galinha (Knorr)
- 1 colher de azeite
- sal a gosto

Em uma panela aqueça o azeite e doure o peito de frango picado em cubos. Acrescente a cenoura, a cebola e o alho e deixe refogar junto do peito de frango. Salgue levemente o frango. Coloque o arroz sete grãos, o tablete de caldo de galinha esfarelado (eu corto ele bem miudinho só pra facilitar que se dissolva) e 3 xícaras e meia de água.

Deixe cozinhando em fogo baixo com a panela tampada quase totalmente (deixe apenas uma pequena abertura) até secar a água. Prove e, se estiver bom, desligue o fogo, se ainda estiver duro coloque um pouquinho mais de água e deixe cozinhar mais até secar novamente.


terça-feira, 13 de outubro de 2015

Escondidinho de Linguiça Blumenau com Catupiry

No clima de Oktoberfest, receitinha pra vocês com a maravilhosa linguiça Blumenau pra festejar as festas alemãs de outubro. Acompanha muito bem uma cerveja...


Aqui no sul é bem fácil de encontrar a linguiça Blumenau, mas dá pra fazer com outros tipos de linguiça defumada também.


Ingredientes:

- 5 batatas médias
- 2 peças de linguiça defumada tipo Blumenau
- 250 g de catupiry (ou requeijão cremoso)
- 1 colher de manteiga
- sal
- leite se achar necessário para o purê
- queijo parmesão ralado

Cozinhe as batatas até ficarem bem macias e faça um purê. Adicione manteiga e sal a gosto (se desejar um purê menos espesso, coloque um pouco de leite). Pique e desmanche a linguiça Blumenau e aqueça-a em uma panela.

Em uma forma refratária coloque metade do purê de batata, fazendo uma camada no fundo. Depois espalhe a linguiça Blumenau, em seguida o catupiry e finalize com mais uma camada de purê de batatas. Coloque queijo parmesão ralado por cima e leve para o forno em modo "grill" ou deixe em forno alto até gratinar.

quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Risoto de Calabresa

Risoto já é comida fácil e gostosa. De calabresa então, é a maior trapaça do mundo pra quando você quer impressionar sem ter trabalho nenhum. Fica uma delícia, incrivelmente fácil e com cara de sofisticado.


Ingredientes:

- 1 linguiça calabresa
- 1 xícara de arroz arbóreo
- 3 colheres de queijo parmesão ralado (preferencialmente na hora)
- 1 pitada de orégano
- 2 colheres de azeite
- 1 dente de alho picado
- 2 tabletes de caldo de galinha

Ferva 1 litro de água e dissolva os caldos de galinha. Em outra panela coloque o azeite e refogue o alho e a calabresa picados. Adicione o arroz e vá colocando o caldo de galinha aos poucos na panela, com a ajuda de uma concha. Não coloque tudo de uma vez. Vá adicionando o caldo conforme ele vai secando e mexa sempre o arroz pra não grudar no fundo. Se faltar caldo vá adicionando água quente e acerte o sal no final. Quando estiver pronto desligue o fogo e adicione o queijo ralado e o orégano e misture. Serve 3 pessoas.

sexta-feira, 18 de setembro de 2015

Capeletti Caseiro in Brodo

Eu não sei vocês, mas eu acho que não tem nada mais a cara de uma noite gostosa e fria em casa do que uma sopinha de capeletti caseira, o famoso capeletti in brodo (capeletti em caldo).


Acho que esse meu gosto por fazer comidas e massas caseiras me deixaram meio "afrescalhada" para comidas industrializadas. Antigamente eu conseguia comer capeletti e ravioli desses do mercado sem grandes problemas, mas hoje em dia quando tento comprar acho um horror! Não sei se é só comigo que isso acontece, mas parece que esses capelettis prontos são duros (mesmo que você cozinhe por um século) e o recheio mal dá de entender o que que é, sem gosto de nada. Muito triste essa vida, pois agora não consigo mais comer capeletti industrializado.

Então quando dá aquela vontade dessa comidinha super "confort food", não há mais o que fazer: tem que montar os bonitinhos em casa, na maior boa vontade. A parte boa é que não é tão difícil quanto parece. Pra quem já está acostumado a fazer massa caseira vai se surpreender com a facilidade.


Ingredientes (para duas pessoas que comem bem):

- 1 colher de sopa de manteiga
- 1 colher de sopa de azeite
- 1 filé grande de peito de frango (aquela metade do peito)
- 1 coxa de frango
- 1/2 cebola
- 3 dentes de alho
- 1 folha de louro
- 1 raminho de alecrim
- 1 pitada de orégano
- 1 colher de sopa cheia de creme de ricota para dar liga (pode trocar por requeijão)
- 1/2 abobrinha (opcional)
- 1/2 cenoura ralada
- 2 ovos
- 200 g de farinha (e um pouco mais para dar o ponto da massa)
- sal e pimenta do reino a gosto

Coloque a manteiga e azeite em uma panela (eu usei de pressão), doure o peito de frango e a coxa com osso (com ou sem pele). Junte a cebola cortada na metade e os alhos inteiros apenas para dar uma refogada, sem dourar. Cubra tudo com água e junte o louro, o orégano e o alecrim. Se estiver usando panela de pressão feche e conte 15 minutos após começar a chiar, se for na panela comum deixe cozinhar por bastante tempo, até o sabor do frango se soltar bem na água e ficar tudo super macio e fácil de desfiar.

Abra a panela e coe tudo, reservando o caldo. Coloque apenas o frango, descartando osso, pele e temperos utilizados, em um processador com uma colher de creme de ricota para dar liga e sal a gosto. Se você não tiver processador pode voltar o frango pra panela de pressão e chacoalhar bastante para desfiar, como eu mostrei nesse vídeo:



Para fazer a massa é só misturar os ovos com a farinha (você também pode burlar essa parte se tiver um processador, colocando os ingredientes no processador e só juntando tudo numa bola depois, assim a massa fica pronta super rapidinho), como eu ensinei nesse vídeo:



A massa você pode passar no cilindro até o número 6 e cortar com um cortador redondo (ou usar a boca de um copo para cortar, como eu fiz).


E aí é só rechear os capeletis, colocando uma bolinha de recheio no meio da massa, dobrando ao meio como um pastel e depois juntar as pontas, formando o capeletti (as mãos da foto são do noivorido dedicado ^^)


Em uma panela coloque um pouco de azeite e refogue a cenoura ralada. Depois coloque a abobrinha picada e refogue mais um pouco. Junte o caldo que você reservou do frango, coloque sal e deixe ferver (se ficar pouco caldo coloque mais água).

Com o caldo fervendo, coloque os capelettis, deixe por um minuto e desligue. Está pronto para servir. Simplesmente maravilhoso!


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...